CURSINHO PRÉ-VESTIBULAR SOCIAL CONTRIBUI PARA A INSERÇÃO DE JOVENS NO ENSINO SUPERIOR

  • FERNANDA BARBOSA REIS UEMA
  • OLÍVIO CRISPIM DE MEDEIROS UEMA
  • ANTÔNIO SANTANA BATISTA DE OLIVEIRA FILHO UNESP https://orcid.org/0000-0001-7398-0300
  • LUCIANO FAÇANHA MARQUES UEMA
  • AIRTON ANDRADE DA SILVA

Resumo

Há uma baixa disponibilidade de vagas nos cursos superiores no Brasil, evidenciando o difícil acesso às Universidades. Estudantes de classes sociais mais baixas tendem a ter sua educação escolar comprometida, tornando seu aprendizado tardio e corriqueiro, o que compromete a sua aprovação em vestibulares. Diante desta situação, a criação de um cursinho pré-vestibular é de suma importância para alunos de classes sociais mais baixas e que sonham com o ingresso à universidade pública, tendo em vista que a grande maioria destes não possuem condições financeiras para pagar um curso preparatório. Objetivou-se com o presente relato de experiência demonstrar a contribuição das aulas da disciplina de Matemática no cursinho pré-vestibular, com o ingresso de alunos nos diferentes cursos superiores ofertados no Processo Seletivo de Acesso à Educação Superior (PAES), no ano de 2019. Os resultados evidenciam que cerca de 21 alunos obtiveram aprovação no PAES 2019 em diferentes cursos, e os maiores índices foram para os cursos de Agronomia e Matemática do Centro de Estudos Superiores de Balsas (CESBA), demostrando que as aulas ministradas de Matemática no cursinho pré-vestibular foram essenciais para o ingresso destes no Ensino superior.

Biografia do Autor

OLÍVIO CRISPIM DE MEDEIROS, UEMA

 Professor auxiliar II da Universidade Estadual do Maranhão. Tem experiência na área de Matemática, com ênfase em Álgebra Linear, atuando principalmente nos seguintes temas: Teoria dos números, Geometria Plana e Espacial, Geometria Analítica, Fundamentos de Matemática, Lógica Matemática e Cálculo. Atualmente o professor exerce também a função de "Diretor do Curso de Matemática" da Universidade Estadual do Maranhão, campus de Balsas.

ANTÔNIO SANTANA BATISTA DE OLIVEIRA FILHO, UNESP

 Graduado em Agronomia, habilitação Engenheiro Agrônomo pela Universidade Estadual do Maranhão (UEMA). Atualmente é mestrando e bolsista CNPq do programa de pós-graduação em Agronomia (Produção Vegetal) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), atuando principalmente nas áreas de Nutrição de Plantas, Fertilidade do Solo e Manejo de Culturas Agrícolas.

LUCIANO FAÇANHA MARQUES, UEMA

Professor Adjunto III, Curso de Agronomia; atualmente é Diretor do Centro de Estudos Superiores de Balsas CESBA - UEMA. Doutorado em Agronomia (Solos e nutrição de plantas) pela Universidade Federal da Paraíba (2012). Mestrado em Agronomia (Solos e nutrição de plantas) pela Universidade Federal da Paraíba (2009). Graduação em Agronomia pela Universidade Federal Rural do Semi Árido (2006). Técnico em Agropecuária pela Escola Agrotécnica Federal de Iguatu-CE (1997). Membro da Sociedade Brasileira de Ciência do Solo.

AIRTON ANDRADE DA SILVA

acadêmico de Agronomia  pela Universidade Estadual do Maranhão, bolsista de iniciação científica PIBIC-UEMA.

Publicado
2020-09-30
Seção
REVISTA CIENTÍFICA DA FACULDADE DE BALSAS